Patrocinador oficial:

__________________________________________________________________________________________________________________________

Sobre o paradigma da intensificação de processos


image
Aquando da comemoração dos 50 anos da associação de engenheiros quimicos do Reino Unido (Institution of Chemical Engineers - IChemE), foi feita uma publicação que incidia sobre o século 21 (Roadmap for the Twentyfirst Century) na qual se referia o seguinte:

"Enquanto engenheiros químicos, temos aceitado prontamente o príncipio da economica da escala, e , como resultado, temos dimensionado e construído unidades de produção cada vez maiores, aumentando a eficiência da planta e reduzindo custos por unidade de produção. As desvantagens desta política incluem riscos de segurança e ambientai resultantes da movimentação de maiores quantidade de materiais perigosos, e incluem também o risco económico resultante da sobreprodução simultânea da actividade de expansão de múltiplas plantas industriais de escala mundial, (...).
Novos conceitos como a intensificação de processos (processo intensification), plantas flexíveis e/ou em miniatura, produção localizada e ecologia industrial deverão implementar-se como a prática corrente, de modo que deveremos continuar a analisar a abordagem ao dimensionamento de plantas industriais e à aceitação de conceitos inovadores no sentido de uma indústria química sustentável (...)"

Salta do texto o conceito de intensificação de processos como algo não depreensível de imediato, e que merece clarificação:

"A intensificação de processo (PI em inglês) pode ser definida de múltiplas formas. Os químicos ou engenheiros químicos apreciarão uma definição com duas partes adoptada por um dos maiores fabricantes de equipamento PI:
- PI aumenta significativamente as taxas de transporte;
- PI possibilita a cada molécula a mesma experiência processual;
Esta definição pode ter utilidade caso seja interpretada como sendo um desenvolvimento de processos envolvendo equipamentos com dimensões dramaticamente inferiores. Isto que implica:
1. Controlo melhorado da cinética de reações, o que conduz ou a uma maior selectividade ou à redução da produção de resíduos:
2. Maior eficiência energética;
3. Redução de custos monetários;
4. Melhoria dos riscos de segurança e aumento dos tempos de resposta.

Provavelmente a característica mais facilmente reconhecida num processo intensificado é a menor dimensão da unidade (várias ordens de grandeza)."

Fonte:  Process intensification: engineering for efficiency, sustainability and flexibility – David Anthony Reay, David Reay, Colin Ramshaw, Adam P. Harvey

image
Fonte: Process Intensification Tools - Elsevier

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...