Patrocinador oficial:

__________________________________________________________________________________________________________________________

Sobre o conceito de "humidade relativa", comum a engenharia química e meteorologia



Unidade de secagem de gases [1]

Instrumentos de medição 
de condições meteorológicas


Em meteorologia, é comum ouvir-se falar do conceito de humidade relativa, o qual é muitas vezes avançado nas previsões em complemento da típica informação sobre temperaturas.

O mesmo conceito é também usado em engenharia química, sobretudo no âmbito de operações de humificação e desumidificação, decorrentes de processos de secagem.

De acordo com o Gold Book da IUPAC, entende-se por humidade relativa "a razão, usualmente expressa em percentagem, da pressão parcial da água na atmosfera a uma dada temperatura, relativamente à pressão de vapor da água pura a essa mesma temperatura." 

Esta definição é válida quer para a engenharia química quer para a meteorologia.

Sem a clareza proporcionada pela consulta da definição, pode acontecer cair-se no erro de pensar que o "relativa" queira estabelacer uma relação com o meio gasoso, o ar. Assim não é: o valor percentual apresentado como "humidade relativa" traça uma relação da água com ela própria no estado puro, pois, pela pressão de vapor e parcial, compara a concentração de água em estado gasoso observada no ar a uma dada temperatura, relativamente à concentração máxima de água em estado gasoso que é termodinamicamente possível observar a essa mesma temperatura.

Nada tem que ver, pois, com a massa do meio gasoso, o ar seco. À razão entre a massa de água no ar e o massa de ar seco dá-se o nome de humidade. Dada a proximidade dos conceitos, importa salientar as diferenças para que ninguém seja induzido em erro, sobretudo no âmbito da meteorologia, em que o cidadão comum poderá compreender erradamente o conceito de humidade relativa.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...