Patrocinador oficial:

__________________________________________________________________________________________________________________________

Sobre o prémio atribuído a Cláudio Fonte (FEUP), na área de Mistura, segundo a European Federation of Chemical Engineering (EFCE)



Cláudio Fonte, 31 anos, antigo estudante  da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) é o jovem investigador do ano na área de Mistura, segundo a European Federation of Chemical Engineering (EFCE). É a primeira vez que um investigador português recebe este galardão daquela prestigiada organização internaconal, que reúne 100 mil engenheiros químicos de toda a Europa e distingue anualmente os investigadores que tenham publicado trabalho de investigação inovador em praticamente todas as áreas de engenharia química. A U.Porto é a única universidade portuguesa representada no grupo de trabalho em Mistura da EFCE.




Cláudio Fonte candidatou-se ao prémio com o trabalho de investigação realizado no âmbito da tese de doutoramento realizada na FEUP.  Coordenado pelo professor José Carlos Lopes e Ricardo Santos do Laboratório Associado LSRE-LCM da Faculdade de Engenharia, o trabalho centrou-se no estudo computacional e experimental do processo de mistura por jatos opostos confinados. Cláudio Fonte explica: “trata-se de um processo que ocorre geralmente em peças de equipamento de pequenas dimensões para mistura em contínuo de dois ou mais líquidos de viscosidade elevada. Nesses equipamentos, que têm uma forma cilíndrica de dimensões da ordem do centímetro de diâmetro, os líquidos são inseridos a altos débitos sob a forma de jatos opostos. O impacto rápido entre as duas correntes promove a sua mistura. Este tipo de misturador é usado, por exemplo, na indústria de produção de peças plásticas através de injeção de polímeros reativos em moldes, em que uma mistura adequada das duas correntes de entrada tem de ser conseguida em apenas uma fração de segundo para evitar defeitos nas peças produzidas”.


Cláudio Fonte foi mais além. Neste trabalho agora distinguido pela EFCE não se limitou a compreender os mecanismos físicos que permitem a mistura neste tipo de equipamentos industriais: propôs uma equação de projeto para adequar condições de operação e design do equipamento às razões de densidades e viscosidades dos líquidos que se pretende misturar. Isto é de extrema importância para a indústria de polímeros onde o design de novas máquinas é feito atualmente por “tentativa e erro” através de um número extensivo de testes.

Fonte: Universidade do Porto

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...