Patrocinador oficial:

__________________________________________________________________________________________________________________________

Sobre a Produção de Sal no Rio Grande do Norte - Brasil

A indústria salineira no Rio Grande do Norte enfrenta uma de suas piores crises no mercado nacional. O preço da tonelada que era R$ 180 há três anos, atualmente é R$ 50. A alternativa para o momento de crise no preço é a exportação. 400 mil toneladas de sal saem do estado, todos os anos, para Canadá, Estados Unidos, Polônia e Nigéria. O país africano compra mais de 60% do que é exportado, mas a qualidade do sal está abrindo portas para o mercado norte-americano.

 "Nós temos o sal melhor produzido no mundo inteiro. Nosso teor de pureza é de 99.88% de cloreto de sódio. Então essa é a alternativa, buscar o mercado internacional e exportar esse sal para os Estados Unidos", completou Renato Fernandes, presidente do Sindicato da Indústria de Sal do estado.

A indústria salineira emprega mais de 70 mil pessoas de forma direta e indireta e é parte significativa da economia do estado. Todos os anos, se produz entre cinco e seis milhões de toneladas de sal no RN. "É uma cadeia produtiva que, para gerar um posto de trabalho não leva mais do que R$ 3 mil, diferente da indústria automobilística, que precisa de R$ 100 mil para gerar cada posto de trabalho. E uma mão de obra que não é tão especializada, mas é hereditária. São algumas famílias que tem sua história na qualificação no processo produtivo", disse Renato Fernandes.

A exploração do sal no litoral Norte do Rio Grande do Norte é uma atividade antiga. As primeiras salinas instaladas em Mossoró, Areia Branca, Assu e Macau, datam de 1802, época da colonização. O clima, sol forte, muito vento e pouca chuva fizeram da região da Costa Branca a maior produtora de sal do país. Cidades e famílias surgiram a partir das salinas. FranciscoTomé, empresário, foi criado no meio dos tanques e diz que é preciso ser equilibrado para se manter no mercado, que é instável.

 "Muitos pequenos produtores abandonaram porque os custos ficaram mais caros. Quer dizer, ele colhia o sal, pagava para colher, e não achava quem comprasse, porque realmente tem muita produção. É nesse momento que você precisa de uma estrutura para aguentar a crise", disse.

Fonte: http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/2015/04/em-crise-no-brasil-industria-salineira-do-rn-aposta-na-exportacao.html

Autor: Roberto Cerqueira

2 comentários:

Pedro Coelho disse...

O triste é que essa crise não vem só afetando a industria salineira.Pois, estamos enfrentando tempos difíceis aqui no Brasil, mas tenho fé que em breve essa crise vai ser superada.

Roberto Cerqueira disse...

Pedro Coelho, a crise é passageira e o Brasil é enorme. Vamos nos animar e trabalhar duro! Logo estaremos de novo em crescimento, espero! Obrigado pelo comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...