Patrocinador oficial:

__________________________________________________________________________________________________________________________

Sobre uma curiosa invenção de 1955, o útero artificial, e a engª química ao serviço de áreas/aplicações menos clássicas

Alguns dos conhecimentos que servem de base à indústria química ou petroquímica, desde logo saberes ao nível da mecânica de fluidos, da transferência de calor e massa, são igualmente utilizáveis noutros domínios de aplicação porventura menos associadas à engenharia química, mas também a fenómenos do quotidiano. De facto, as fronteiras de uma disciplina tão versátil e multifacetada como a engenharia química têm vindo a modificar-se, cruzando-se com novos saberes e contextos, transportando esta disciplina para fora do seu âmbito de aplicação clássico

Mas se este fenómeno é apresentado como algo recente, pelo menos em intensidade, a verdade é que é possível encontrar num passado recente, exemplos de inovações e desenvolvimentos que se enquadram nesta deriva da engenharia química para assuntos/aplicações alternativas.

* * *


"Esta invenção refere-se a um útero artificial que é usado para suportar um feto prematuramente nascido e para fornecer nutrição e eliminação de produtos de resíduos de forma semelhante à empregada pelo útero das mães.

Um grande número de fetos prematuros são perdidos por causa de sua incapacidade de sobreviver depois que o cordão umbilical foi cortado. Apenas uma pequena percentagem de bebés vivem se seu peso ao nascer for inferior a dois quilos.

O desenvolvimento de um coração e pulmão artificiais tornou possível a oxigenação contínua do sangue e o desenvolvimento de um rim artificial pode agora ser aplicado para filtrar os resíduos de uma corrente sanguínea. Também devido a um desenvolvimento recente de alimentos líquidos contendo gorduras, proteínas, bem como a glicose podem ser adicionados à corrente sanguínea. A presente invenção usa esses componentes como parte do sistema que permite que um feto viva e cresça fora do corpo humano até atingir um estágio de desenvolvimento que permita sua remoção do útero artificial.

Um dos objetos desta invenção é fornecer um útero artificial que irá sustentar um feto não nascido em uma condição semelhante à do útero humano. Outro objeto da invenção é fornecer um suprimento contínuo de sangue nutriente e oxigenado para e do feto e providenciar a eliminação de produtos de Resíduos. Outro objectivo da invenção é apoiar o feto e a placenta numa estrutura que pode ser mantida a uma temperatura uniforme. Outro objectivo da invenção é proporcionar uma estrutura pela qual a placenta é submetida a um fornecimento contínuo de sangue purificado.

A invenção compreende uma estrutura removível que inclui um recipiente para o feto e um compartimento separado para a placenta onde está disponível um fluxo constante de sangue puro. O sangue da placenta é circulado por meio de duas bombas através de um rim artificial, um aparelho oxigenante, um recipiente onde são adicionados alimentos líquidos e um filtro que remove coágulos sanguíneos e outras matérias sólidas. É fornecido um fornecimento de água circulante que aquece a temperatura da água e, por meio de coletes de água, mantém a câmara do feto e o aparelho oxigenante à temperatura corporal."

Fonte: Artificial uterus - US 2723660 A

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...