Patrocinador oficial:

__________________________________________________________________________________________________________________________

Sobre o Petróleo (2)

Dando continuidade ao que se referiu sobre o facto do petróleo ter apadrinhado o crescimento e consolidação da Engenharia Química enquanto profissão, falar-se de refinarias de petróleo será falar de muito do que foi desenvolvido, optimizado e explorado por engenheiros químicos e que representa o seu posto de trabalho numa perspectiva clássica.

A indústria da refinação de petróleo converte crude (petróleo bruto) numa larga variedade de subproductos. Para que seja mais fácil de perceber, podem-se agrupar os subprodutos em três grupos funcionais, tais como:
a) Combustíveis líquidos (gasolina, gasóleo, querosene, óleos, etc)
b) Combustíveis secundários e matérias-primas (nafta, lubrificantes, asfalto,etc)
c) Petroquímicos (etileno, propileno, butadieno, benzeno, tolueno, xileno, etc)

O grupo dos combustíveis líquidos é aquele com o qual o cidadão comum está mais familiarizado, visto que inclui os subprodutos mais fáceis de associar a uma refinaria de petróleo.

O grupo dos produtos petroquímicos constitui a base de inúmeros processos químicos, não sendo tão conhecidos do grande público, o qual tem um contacto privilegiado com diversos produtos químicos cuja produção assenta na utilização destes petroquímicos como matéria-prima.

Para que seja tangível obterem-se tantos subprodutos diferentes partindo de uma mistura líquida única, os engenheiros químicos tiveram de desenvolver processos baseando-se no conceito de operações unitárias (etapas básicas de um processo) e no encadeamento das mesmas de acordo com os seus objectivos.

Relativamente aos processos típicos utilizados numa refinaria, podem-se identificar quatro categorias:

1. Separação (destilação atmosférica ou a vácuo)
2. Conversões (cracking, reforming, isomerizações, alquilações, polimerizações)
3. Tratamentos (hidrodessulfuração, hidrotratamento, remoção de gases ácidos, desalcatroamento, etc)
4. Mistura (combinação de correntes de diferentes unidades processuais para produzir produtos específicos)

Dependendo do tipo e qualidade do petróleo, bem como dos objectivos da refinaria, cada refinaria terá a sua combinação de processos. Contudo, as refinarias de petróleo costumam apresentar uma rede processual típica:

(clique para ampliar)

Não deixa de ser curioso pensar que antes de 1879 o petróleo era apenas destilado à pressão ambiente e o melhor que se conseguia fazer era separar o querosene do restante crude.

Em pouco mais de 100 de anos a Engenharia Química cresceu e tornou-se numa área científica altamente especializada que a muito valor acrescentado tem conduzido.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...