Patrocinador oficial:

__________________________________________________________________________________________________________________________

Sobre o combustível de aviação à luz das suas propriedades e especificidades (1 de 2)



O combustível de aviação é sujeito a uma extensa lista de testes que visam classificar as diversas propriedades que se sabe serem importantes para que o produto final seja adequado ao processo de combustão, aos motores onde são usados e ao meio-ambiente.

Neste sentido, apresentam-se de seguida as diferentes propriedades em que se pode avaliar um combustível de aviação, as quais permitem perceber o rol de questões que importa salvaguardar a seu respeito.

*     *     *

1- COMPOSIÇÃO

1.1 - Aparência - O aspecto do combustível é visualmente avaliado sob a forma de um teste binário (aprovação/reprovação). O objectivo aqui é despistar a existência de água, sedimentos ou matéria em suspensão. (Método de Teste: ASTM-D4176)

1.2 - Acidez Total - A partir da presença conjunta de ácidos orgânicos e inorgânicos, é possível obter uma indicação do potencial corrosivo do combustível relativamente a metais. (Método de Teste: ASTM-D3242/IP354)

1.3 - Teor de Aromáticos - esta variável dá uma indicação da radiação da chama, da deposição de carbono e do próprio fumo. Afecta também a expansão de elastómeros. (Método de Teste: ASTM-D1319/IP156 e ASTM-D6379/IP436)

1.4 - Teor de Hidrogénio - está relacionado com o Teor de Aromáticos e permite analisar a limpeza da combustão. (Teste: ASTM-D3701/IP338)

1.5 - Olefinas - Tratando-se de hidrocarbonetos insaturados, as olefinas são potenciais causadoras de instabilidade aquando do armazenamento do combustível. (Método de Teste: ASTM-D1319/IP156)

1.6 - Enxofre total - é importante controlar este elemento porque a formação de óxidos de enxofre aquando da combustão pode levar à corrosão dos componentes metálicos da turbina. (Método de Teste:ASTM-D4294/IP336)

1.7 - Mercaptanos de Enxofre - a presença destes compostos precisa de ser controlada por dois motivos: provocam um odor desagradável no produto, e atacam alguns elastómeros. (Método de Teste: ASTM-D3227/IP342)

1.8 - Teste Doctor - visa detectar a presença de compostos de enxofre reactivos, e é um método alternativo ao dos Mercaptanos de Enxofre. (Método de Teste: ASTM- D4952/IP30)


2 - VOLATILIDADE

2.1 - Curvas de destilação -definem a gama de ebulição do querosene, a qual deve ser ajustada de modo a que se consiga a uma vaporização balanceada do volume total de combustível. (Método de Teste: ASTM-D86/IP123 e ASTM-D2887 )

2.2 - Flash Point - tem implicação na combustibilidade e é o principal factor em relação ao perigo de manuseamento de um combustível, por propensão para arder. (Método de Teste: ASTM- D3828/IP303)

2.3 - Densidade - Precisa de ser conhecida para que a carga (tonelagem) das aeronaves possa ser devidamente calculada, já que o combustível é normalmente medido em volume. Está também relacionada com a energia específica. (Método de Teste: ASTM- D4052/IP365)

2.4 - Pressão de vapor - permite obter uma indicação das perdas de combustível líquido devido à variações de pressão e/ou temperatura.(Método de Teste: ASTM- D5191 e ASTM-IP69)


3 - FLUIDEZ

3.1 - Ponto de congelamento - é um indicador do fenómeno cristalização dos hidrocarbonetos mais pesados a baixas temperaturas, permitindo acautelar a bombagem de combustível em contextos de baixas. (Método de Teste: ASTM-D2386/IP16)

3.2 - Viscosidade - Afecta a bombagem de combustível, e está também relacioandas com o tamanhos das gotas que produzidas nos injectores onde ocorre a queima. (Método de Teste: ASTM-D445/IP71)

Fonte: ExxonMobil

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...