Patrocinador oficial:

__________________________________________________________________________________________________________________________

Sobre o prémio de melhor trabalho científico atribuído a docente da Univ. Federal do Amazonas, no 9º Congresso Internacional de Bioenergia




O professor de Engenharia Química da Faculdade de Tecnologia, da Universidade Federal do Amazonas, professor Johnson Pontes de Moura recebeu, durante o maior evento internacional de Bioenergia, o certificado de melhor trabalho de destaque científico. O estudo intitulado "Modelagem e Simulação dos Processos de Bioconversão de Biomassas Regionais para Produção de Energia de Biogás, Biofertilizantes e Adubo Orgânico no Setor Agroindustrial Brasileiro" teve a honraria concedida ao término do 9º Congresso Internacional de Bioenergia, realizado em São Paulo (SP), no dia 3 de outubro.   


(...)
Dando ênfase à utilização de biomassa existentes em nosso estado como o caroço do açaí, a casca de banana, castanha do Amazonas e o cupuaçu, o pesquisador e também professor falou do reconhecimento à importância da atividade agroindustrial no processo de desenvolvimento econômico e social, o que tem levado os formuladores de políticas públicas, no Brasil e no exterior, a eleger o setor agropecuário como prioritário para a promoção de investimentos em novos empreendimentos. 


Para fundamentar seu argumento, o professor utilizou dados recentes do Departamento Econômico do BNDES e do IBGE, que mostram o contexto brasileiro, onde, para cada milhão de dólares investido, os empreendimentos agropecuários e agroindustriais chegam a gerar 118 a 182 empregos, cerca de 15% a 80% a mais do que os investimentos em um segmento tradicionalmente intenso, em ocupação de mão de obra, como o setor comercial. Por outro lado, a típica orientação locacional para a fonte de matéria-prima faz com que a agroindústria contribua para mitigar o sério problema do êxodo rural, por gerar empregos diretos e indiretos no campo.


Em sua apresentação, o professor e pesquisador Johnson Pontes de Moura utilizou como consideração inicial, a produção mundial de banana, que alcança 64,6 milhões de toneladas ao ano, tornando possível seu beneficiamento para obter produto de maior valor agregado, de forma a obter processamento de banana para produção de banana e biogás. 

Diretamente, a produção do fruto proporcionaria às populações rurais mais renda e desenvolvimento sustentável. Esta mesma produção representaria um campo de estudo para verificar os campos sobre financiamento produtivo da fruta, o estudo sobre o processo de reaproveitamento de biomassa residual e aplicação de fontes alternativas de energia na modelagem do processo para realizar análise comparativa das fontes convencionais e alternativas de energia.  

"No processo de secagem da banana, utiliza-se secador movido a energia solar ou também o biogás. Também podem ser utilizadas as próprias cascas da banana para produção de biogás. —Com o biofertilizante proveniente do processo de biodigestão anaeróbia, pode-se usá-lo para hidroponia orgânica", explicou.      

O pesquisador afirmou, ainda, que de acordo com os estudos comparativos a partir das simulações econômicas realizadas pode-se afirmar que a produção de biogás para beneficiamento em comunidades rurais torna-se algo viável. 

"Uma vez que a agroindústria de processamento de frutas terá obtenção de produtos de maior valor agregado, no caso a farinha de banana, utilizando-se de resíduos que são desperdiçados como também serão estudadas as viabilidades técnica e econômica do aproveitamento das biomassas do caroço do açaí e cascas da castanha do Amazonas", finalizou. 

Fonte: Universidade Federal do Amazonas

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...