Patrocinador oficial:

__________________________________________________________________________________________________________________________

Sobre a interligação dos recursos naturais da Venezuela com o financiamento da sua economia e complexa situação política do país




A Venezuela é um Membro Fundador da OPEP, Organização dos Países Exportadores de Petróleo. As receitas petrolíferas da Venezuela representam cerca de 98% das receitas de exportação. Além do petróleo, os recursos naturais do país incluem gás natural, minério de ferro, ouro, bauxita, diamantes e outros minerais.

A Venezuela é produtora de petróleo desde 1914, quando o primeiro poço de petróleo comercial, Zumaque I, foi perfurado no campo de Mene Grande, na costa leste do Lago Maracaibo.



Fonte: OPEP


Os recursos naturais como garantias de endividamento da economia venezuelana 

CHINA-VENEZUELA: Para Pequim, os abundantes recursos naturais e o fornecimento de energia da Venezuela poderiam ajudar a China a ter acesso de longo prazo a esses ativos nacionais vitais.

Em 2014, o principal banco de política da China, o China Development Bank (CDB), forneceu ao governo venezuelano mais de US $ 30 mil milhões em novos empréstimos garantidos por petróleo. Eles apoiaram principalmente investimentos nos setores de energia e mineração, incluindo unidades de energia, refinarias de petróleo e oleodutos. 

(...) Pequim usou acordos de empréstimos-por-petróleo, apostando que a capacidade de produção da estatal petrolífera da Venezuela (PDVSA) era uma garantia suficiente para o pagamento da dívida.

Este foi um erro de cálculo. A China sobrestimou a capacidade da Venezuela de sustentar a produção de petróleo e, consequentemente, a atividade económica, mas também sua capacidade de gerir com sucesso vários projetos comerciais espalhados por amplos setores da economia. A China pagou, assim, um alto custo quando a Venezuela se atrasou na sua garantia de petróleo e não conseguiu financiar projetos de transporte em 2014 devido ao agravamento da crise económica do país e do colapso histórico do setor de petróleo.

(...) No seu auge, entre 2010 e 2013, a Venezuela representou, em média, 64% das novas linhas de crédito aprovadas da China para a América Latina. Mas, de 2014 a 2017, a Venezuela representou 18% do total de novas linhas de crédito da China para a região.


RÚSSIA-VENEZUELA: (...) As empresas estatais da Rússia surgiram como principais investidores num momento em que o governo de Maduro achava cada vez mais difícil conseguir novos créditos de qualquer lugar, incluindo a China. A Rosneft e a Gazprom, gigantes da energia russa, forneceram financiamento de curto prazo para a empresa petrolífera estatal da Venezuela (PDVSA).

Em troca, a PDVSA forneceu 49,9% de seu total de ações de sua subsidiária nos EUA, Citgo, como garantia à Rosneft para garantir pagamentos futuros. Além disso, a Rosneft aumentou sua participação numa joint-venture de petróleo do Orinoco e também recebeu acesso às maiores reservas de gás da Venezuela.



Joint-ventures na faixa petrolífera do Orinoco. Fonte



A interligação da economia venezuelana com a política nacional e internacional

CHINA-VENEZUELA: A estratégia da China gira em torno de um compromisso pragmático com a “não-intervenção”, protegendo seus compromissos financeiros consideráveis ​​protegendo-se política e comercialmente.

RÚSSIA-VENEZUELA: Na sequência da ascensão política de Guaidó, a Rússia redigiu uma resolução da ONU expressando “suas preocupações com as ameaças ao uso da força” contra a Venezuela. A Rússia disparou um tiro retórico na política externa dos EUA, advertindo que “a interferência cínica e evidente nos assuntos internos de um Estado soberano” deve parar.

Sobre o Porto de Antuérpia (Bélgica), o maior cluster petroquímico da Europa, e a sua imponente rede de pipeline multiproduto




O Porto de Antuérpia está localizado no centro de Flandres, no coração da zona comercial mais poderosa da Europa. É a sede da principal plataforma marítima e logística integrada da Europa, que permite o trânsito suave, livre de erros e rápido de mercadorias para todos os principais mercados europeus. O porto de Antuérpia também é conhecido pelos seus procedimentos alfandegários rápidos, intuitivos e descomplicados.

A Flandres é um local popular para a sede e escritórios de empresas petroquímicas líderes mundiais. A região responde por 70% da indústria petroquímica da Bélgica, sendo que 13 das 20 maiores empresas petroquímicas estão presentes na Bélgica.

A Flandres abriga o maior cluster petroquímico da Europa, situado no porto de Antuérpia. De fácil acesso, não é apenas o maior do género na Europa; é também o segundo maior do mundo. Em grandes números, a área portuária contempla:
  • 500 empresas químicas em 2.500 ha de área industrial;
  • 5 refinarias de petróleo;
  • 5 steam crackers;
  • um portfólio de 300 produtos químicos diferentes.




Com mais de 40 km2 de indústrias químicas que abrigam 7 das 10 maiores empresas químicas do mundo, o Porto de Antuérpia é de longe o maior aglomerado químico da Europa. Também possui a maior capacidade de armazenamento da Europa para a indústria petroquímica, com cerca de 350.000 m3 de tanques de aço inoxidável e 8 terminais plásticos de múltiplos clientes com uma capacidade total de mais de 430.000 m³.

O Porto de Antuérpia possui um nível extremamente alto de integração e diversidade em toda a cadeia de valor - uma combinação única no mundo. De matérias-primas, commodities e produtos intermediários até produtos finais, o porto possui unidades em energia, integração de processos e logística, para uma relação custo-benefício líder mundial.

Além disso, os pipelines do porto formam um importante centro do norte da Europa para o trânsito de petróleo bruto, nafta, etileno, propeno, gás natural, etc.




Sobre o jogo 'Molecule – A Chemical Challenge', um puzzle de estruturas moleculares à distância de um smartphone




Molecule – A Chemical Challenge

Aprenda sobre os blocos de construção fundamentais do universo neste jogo viciante.

Coloque suas habilidades visual-espaciais à prova enquanto compete com jogadores de todo o mundo para construir moléculas a partir de átomos usando o menor número de etapas. 

Mas cuidado, este jogo não é fácil. Você precisará de puxar pelo cérebro para resolver com sucesso estes níveis. 


Características:

  • Construa moléculas a partir de átomos;
  • Teste sua habilidade visual-espacial;
  • Competir com jogadores em todo o mundo para uma solução com o menor número de etapas;
  • Aprenda factos divertidos sobre ciência com todos os níveis que você completa;
  • Mais de 40 níveis e moléculas únicas, inúmeros átomos, placas de rotação, gatilhos e diversão na forma de quebra-cabeças desafiantes estão à sua espera!

Revista semanal de imprensa (BEQ.2019.6): Total nas renováveis em Portugal, baterias de grafeno, Amorim investe em mais cortiça, e comunicar melhor ciência




A Total venceu a corrida à compra da Novenergia, o quarto maior produtor de energias limpas em Portugal, com uma oferta superior a 600 milhões de euros. Entre os grupos que também disputavam a aquisição da empresa de energias limpas estavam a estatal chinesa Datang, o fundo norte-americano Contour Global e a Finerge (outro dos grandes produtores de energia eólica em Portugal).


É uma das novidades da Energizer na feira de tecnologias móveis que decorre em Barcelona. Com este smartphone, é possível ouvir 100 horas seguidas de música e pode mesmo aguentar 50 dias sem precisar de ser carregado.

A Corticeira Amorim vai investir sete a 10 milhões de euros, nos próximos três anos, na plantação de sobreiros. A meta do grupo é plantar 50 mil hectares em Portugal na próxima década, o que corresponde a um aumento da área total de montado de sobro do país em 7%, mas permitirá aumentar em cerca de 30% a produção de cortiça.


Três faculdades da Universidade do Porto (U.Porto) juntam-se num curso que visa “criar uma cultura de comunicação” e facultar a investigadores e estudantes de doutoramento ferramentas que lhes permitam “comunicar a ciência”, adiantou hoje o responsável.

Sobre a força de arrasto (atrito) e a vantagem de praticar ciclismo em grupo para uma boa gestão do esforço individual





Um pelotão de ciclismo consiste num grupo de ciclistas que circulam juntos para reduzir o arrasto aerodinâmico e com isso o gasto individual de energia. Estudos prévios em pequenos grupos de ciclistas de desenho em linha mostraram reduções de até 70 a 50% do arrasto de um ciclista isolado na mesma velocidade e esses valores também foram usados para pelotões. No entanto, dentro de um pelotão bem compactado com várias filas de ciclistas a fornecer abrigo, maiores reduções de arrasto podem ser esperadas. 

(...) A força de arrasto calculada para um ciclista isolado à mesma velocidade (15m / s) é 40,33 N. Para todas as subconfigurações, o ciclista líder tem o maior arrasto, que é 96 % ou 98 % do piloto isolado. Na subconfiguração 1, os dois pilotos na segunda linha têm um arrasto de cerca de 70 a 75% do do corredor isolado. Cada um deles tem um arrasto diferente, devido à assimetria dos ciclistas (uma perna está na frente da outra). O ciclita à direita é protegido pelos três pilotos principais e experimenta o menor arrasto, que é 43 % do piloto isolado. Para a subconfiguração 2, o segundo e o terceiro elemento têm um arrasto de 60 % e 52 % do ciclista isolado, respectivamente. Finalmente, para a subconfiguração 3, os pilotos à direita têm um arrasto decrescente monótono, até 46 % do do corredor isolado para o quarto da linha.

__________
B. Blocken, T.v. Druenen, Y. Toparlar, F. Malizia, P. Mannion, T. Andrianne, T. Marchal, G.-J.
 Maas, J. Diepens, Aerodynamic drag in cycling pelotons: New insights by CFD simulation and wind tunnel testing, Journal of Wind Engineering and Industrial Aerodynamics, 179 (2018) 319-337,





Arrasto (Drag) em Alta Velocidade

A equação de arrasto calcula a força experimentada por um objeto que se move através de um fluido em velocidade relativamente alta (ou seja, elevado número de Reynolds, Re > 1000), também chamado de arrasto quadrático. A equação é atribuída a Lord Rayleigh (…).

A força de arrasto (FD) num objeto em movimento devido a um fluido é:


onde ρ é a densidade do fluido, v é a velocidade do objeto em relação ao fluido, A é a área de referência, CD é o coeficiente de arrasto (um parâmetro adimensional, por exemplo, 0.25-0.45 para um carro), e é o vetor unitário indicando a direção da velocidade, e onde sinal negativo indica que o arrasto é oposto ao da velocidade).

A área de referência A é geralmente definida como a área da projeção ortogonal do objeto em um plano perpendicular à direção do movimento (por exemplo, para objetos com uma forma simples, como uma esfera, essa é a área da seção transversal).

_________________

Fonte: R.T. Patil, D.M. Kadam, Hot Air Drying Design: Fluidized Bed Drying, Handbook of Food Process Design , John Wiley & Sons, 2012

Sobre a produção de neve artificial para fins de turismo e desporto de inverno: aspectos técnicos e algumas características e factos sobre esta prática




A tecnologia de produção de neve envolve o uso de ucleadores que produzem uma mistura de água e ar comprimido que forma núcleos de neve (nuclídeos) ao entrar na atmosfera. Os bocais dos canhões de neve atomizam a água em gotículas finas que se combinam com os nuclídeos e congelam na forma de pequenos cristais de neve a caminho do chão. Esta queda é simulada diferentemente por diferentes tipos de canhões de neve. Os canhões de ventoinha são equipados com um ventilador de ar para este propósito, enquanto as lanças de neve recorrem à queda natural de um alturas de até 10 metros.

Tal como acontece com a queda de neve natural, a temperatura do ar e a humidade do ar precisam de cumprir certos requisitos para a produção técnica (artificial) de neve. O termo usado na tecnologia de produção de neve é, portanto, a temperatura de bulbo úmido, que expressa a razão entre a temperatura e a humidade relativa do ar. A temperatura de bulbo úmido está sempre abaixo da temperatura externa. Quanto mais húmido está o ar, menor a quantidade de água que ele pode ainda absorver, e mais baixa a temperatura tem de estar para formar cristais de neve a partir das finas gotas de água.



Os canhões de neve da TechnoAlpin começam a produzir neve a partir de uma temperatura de bulbo úmido de -2,5 ° C. Caso a humidade atmosférica seja muito baixa, esse nível pode ser alcançado com temperaturas ligeiramente acima de 0 ºC, mas se a humidade do ar for alta, temperaturas abaixo de zero são necessárias.

As temperaturas em torno do ponto de congelamento são referidas como temperaturas limítrofes ou temperaturas limite. A temperatura da água também é um fator chave, especialmente nessas temperaturas limite. Torres de arrefecimento são usadas para atingir a temperatura ideal da água e aumentar a eficiência de um sistema de produção artificial de neve.

Fonte: Techno Alpin


Algumas características e factos adicionais sobre a produção de neve artificial: 

  • Com uma densidade de 300-500 kg / m³, a neve artificial é quatro vezes mais dura que a neve natural (De Jong, C. 2010).
  • Substâncias adicionais podem ser misturadas à água para manter a neve artificial a temperaturas acima de 0 ° C.  [...] Por exemplo, em algumas regiões dos Alpes, a bactéria americana Pseudomonas syringae é introduzida no água para poder produzir neve artificial a temperaturas mais altas. As bactérias são inativados por radiação e então utilizadas como germes de cristalização para poupar energia (ROCHLITZ 1989 em Doering, A. et al (1996)). O uso dessas bactérias é proibido na Alemanha, mas geralmente é difícil de detetar;
  • Os investimentos em sistemas de neve artificial podem requerem entre 15 e 20 anos de amortização, tendo em conta pelo menos 100 dias por ano de neve com temperaturas abaixo de -3 ° C;
  • A produção de neve artificial de um m³ custa 2,50 €, incluindo trabalho de escavação e nivelamento, eletricidade para compressores e canhões, e compactação (Canardages (2010));
  • A criação de neve artificial visou inicialmente a compensação pela falta de cobertura com neve natural , mas evoluiu para um procedimento de rotina com vista a cobrir pistas de esqui inteiras antes do início da queda de neve natural para garantir a certeza da neve durante toda a temporada (dezembro a abril) (Bürki et al 2008 in De Jong, C. (2009)).
and economical aspects, 2017, University of Life Sciences and Natural Resources Vienna, Austria

Coluna 'Ver para Crer' (BEQ.2019.6): acendendo a chama da flare com um método manual muito pouco ortodoxo e seguro




* * *

Corroborando a máxima de que uma imagem vale mais que mil palavras, a coluna 'Ver para Crer' BEQ tem por objetivo divulgar conteúdos multimédia cativantes que possam elucidar dos diferentes fenómenos e contextos em que a engenharia química tenha uma palavra a dizer, seja de forma direta ou meramente simbólica.

Sobre o 9º aniversário do projeto BEQ, e o (nunca demais) obrigado por estar desse lado a contribuir para o sucesso desta iniciativa




Hoje o BEQ está de parabéns. Nove vezes!
Diz a máxima que o caminho se faz andando, e assim tem sido o percurso por aqui.

O BEQ está feliz por tê-lo como leitor, subscritor ou visitante, e espera que permaneça vinculado por mais um ano, para ajudar a soprar o dobro das velas deste ano (e mesmo que pelo ecrã).

Não se esqueça também de subscrever as Newsletters mensais BEQ e assim tirar total partido dos conteúdos que por aqui se produzem. A de Fevereiro está quase a sair, e pode garantir que a recebe em primeira mão inscrevendo-se aqui.

De resto, muito obrigado por ajudar a construir uma comunidade pública em língua portuguesa em torno da área científica e profissional que é a engenharia química, tarefa que muito motiva o BEQ a continuar a trilhar o seu caminho.

(fundador e editor do BEQ)

* * * 


Revista semanal de imprensa (BEQ.2019.5): neve negra, Argentina e Vale travam Brasil, novo coordenador de Engª Química, e fábrica da Ferrero pára produção


A cidade russa de Kemerovo, na Sibéria, está a ser afetada por um fenómeno raro: em vez de branca, a neve que cobre as ruas, as habitações e as árvores é negra. Esta é uma consequência da forte poluição registada nesse centro industrial e noutras cidades da zona.

A indústria brasileira fechou 2018 com resultado decepcionante, um crescimento de apenas 1,1%. E, segundo analistas, 2019 não deve ser tão diferente. A recessão argentina e a redução na produção da Vale em decorrência do rompimento da barragem em Brumadinho já fazem economistas reverem, para baixo, as projeções de crescimento do setor para este ano.



O Eng. de Plástico Luís Sidnei Barbosa Machado, coordenador da Câmara Especializada de Engenharia Química do CREA-RS, foi eleito coordenador nacional das Câmaras Especializadas de Engenharia Química., durante o Encontro de Líderes que ocorreu em Brasília. Afirma que buscará o fortalecimento das Câmaras de Engenharia Química no Brasil.


O grupo italiano Ferrero interrompeu temporariamente as atividades na maior fábrica de produção de Nutella do mundo, devido a um problema de qualidade que surgiu esta semana. Localizada na região francesa da Normandia, a fábrica produz um terço de todos os potes de Nutella vendidos globalmente, segundo o site da empresa.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...